EXAMES PARA ENTRAR BEM NA TERCEIRA-IDADE

10/05/2015 16:48

O aumento da população idosa é uma realidade também aqui no Brasil: nos últimos 30 anos a expectativa de vida do brasileiro passou de 62 para 73 anos, segundo dados do Ministério da Saúde. O grande desafio é entender como envelhecer de forma saudável, mantendo corpo e mente ativos. Nesse cenário, é importante estar atento às doenças que têm como um dos principais fatores de risco a idade - e nada melhor do que iniciar os exames de rastreamento na faixa etária recomendada, ou então continuar fazendo aqueles que, se já eram importantes antes, passam a ter atenção redobrada após a meia-idade. Confira essa lista e não se esqueça: na dúvida sobre qualquer alteração no seu corpo ou sintoma diferente, pergunte ao seu médico!

Hemograma e colesterol O conhecido exame de sangue ajuda o médico a identificar diversos aspectos da sua saúde - principalmente os males do coração, que são mais incidentes a partir dos 50 anos de idade. É com o exame rápido e simples de colesterol e frações que o médico consegue avaliar índices importantes como o colesterol (tanto o LDL, o colesterol ruim, quanto o HDL, conhecido como bom colesterol) e o perfil lipídico, que revela se há ou não risco para aterosclerose, AVC ou hipertensão arterial.  Já o hemograma avalia doenças como anemia e outras possíveis infecções, que na terceira-idade são mais passíveis de causar complicações.

TSH A incidência de hipotireoidismo aumenta com o passar da idade, principalmente nas mulheres. Isso porque na fase da menopausa é muito comum a mulher sofrer da tireoidite de Hashimoto ou tireoidite crônica, doença autoimune em que o corpo produz anticorpos que atacam a tireoide, fazendo deste distúrbio a principal causa do hipotireoidismo. O exame de TSH é importante para verificar se há alguma alteração significativa no funcionamento da tireoide que precise de tratamento. 

Glicemia de jejum - O risco de diabetes tipo 2 aumenta consideravelmente a partir dos 45 anos, principalmente por conta do aumento dos fatores de risco, como obesidade - por isso, pessoas que tem histórico familiar da doença e não fazem esse exame com frequência devem considerar incluir a dosagem na lista de exames anuais a partir desse período. 

Dosagens de vitamina D, cálcio e PTH Juntamente com a densitometria óssea, o exame para detectar deficiências de Vitamina D (25-hidroxi vitamina D) e  cálcio no sangue e ossos é essencial para o acompanhamento do risco de osteoporose a partir da meia-idade.  Além disso, também pode ser pedido um exame de PTH ,hormônio que está relacionado com a absorção de cálcio e vitamina D pelo intestino e rins. 

Ureia e creatinina - Servem para avaliar as funções do rim - uma vez que quanto maiores são os níveis de creatinina, menos eficiente está o rim. Esse acompanhamento é ainda mais importante para pacientes com diabetes e hipertensão, já que essas condições elevam o risco de complicações renais. A dosagem da creatinina é muito importante, pois ela pode aumentar de forma assintomática, servindo de alerta para a possibilidade de uma doença renal.

Exame de PSA e toque retal A partir dos 45 ou 50 anos, todo homem deve marcar uma consulta com um urologista anualmente, pois o risco de um câncer de próstata ser diagnosticado nessa idade aumenta. A investigação correta para a doença é feita com uma história clínica completa, dosagem de PSA, toque retal e ultrassom de próstata por via retal. 

ColonoscopiaO câncer de cólon e reto  tem, entre os principais fatores de risco, a idade. O consumo de álcool, o tabagismo e uma dieta pobre em fibras e rica em gordura são outros fatores de risco para esse tipo de câncer. O exame consegue identificar alterações da mucosa do intestino que podem evoluir para um câncer e o tratamento dessas alterações já reduz o risco da doença. 

Raio-X de tórax -  raio-x de tórax é importante para avaliar o estado dos pulmões após os 50 anos. Apesar do câncer de pulmão não ser o mais prevalente, é um tipo de câncer mais agressivo. A visita ao pneumologista também deve acontecer sempre que a pessoa for vítima de gripes ou resfriados. Sintomas como uma tosse que demora a se curar não podem ser ignorados. O risco de o problema evoluir para uma pneumonia é maior e pode levar o paciente à morte. Outro cuidado fundamental é tomar as vacinas contra infecções respiratórias (gripe e pneumonia , por exemplo) disponíveis para pessoas de mais idade em postos público.

EletrocardiogramaO sistema cardiovascular sofre diversas modificações com o decorrer da idade,  comprometendo a função cardíaca. O eletrocardiograma é um exame que mede a frequência cardíaca e suas oscilações se a pessoa está em atividade intensa ou repouso. Isso ajuda o médico a encontrar alterações, como insuficiência cardíaca, arritmias e outras cardiopatias. 

Papanicolau e mamografiaJuntamente com a mamografia, o exame de Papanicolau precisa continuar a ser feito mesmo após os 50 anos - independente da vida da mulher continuar sendo ativa ou não. 

Exames oftalmológicosApós os 50 anos, doenças como a catarata e o glaucoma têm maior incidência, daí a necessidade de uma visita anual ao oftalmologista. 

Densitometria óssea O exame de  desintometria óssea é usado para medir a densidade de nossos ossos, ou a massa óssea. É o melhor exame para controlar a evolução da osteoporose e de seu tratamento. O controle com o exame geralmente é anual, mas a frequência pode mudar conforme orientação.