DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS (DST)

24/04/2016 19:16

 

 
Doenças sexualmente transmissíveis (DST), também denominadas "doenças venéreas", são infecções cujo contágio ocorre durante qualquer tipo de relação sexual sem proteção, quando um dos parceiros está contaminado. Os agentes causadores são vírus, bactérias e fungos de diferentes tipos. As DST mais comuns como sífilis, gonorréia, cancro mole, clamídia e uretrites, que podem ser completamente curadas, são causadas por bactérias. Hepatite B, herpes e Aids, doenças resistentes, são provocadas por vírus.   Algumas infecções podem passar de mãe para filho, antes ou durante o parto ou surgir como resultado de transfusões de sangue contaminado.
 
PRINCIPAIS TIPOS DE DST
 
CLAMÍDIA - As uretrites causadas pela Chlamydia tracomatis são transmitidas pelo contato sexual e ocorrem tanto em homens como em mulheres.
 
Sintomas - As mulheres em geral, são assintomáticas. Os homens apresentam corrimento e dor leve e intermitente ao urinar. Os sinais da doença aparecem, em geral, de 8 a 10 dias após a relação sexual.
 
Diagnóstico - É feito com imunofluorescência, pela análise de urina ou cultura da secreção.
 
Tratamento - Antibióticos. Não tratada, a doença pode deixar seqüelas graves.
 
 
HPV - Doença causada pelo papilomavírus humano, é transmitida durante a relação sexual pelo parceiro contaminado. A mãe, também, pode passar a doença para o filho durante o parto natural.
 
Sintomas - Manchas esbranquiçadas ou verrugas (conhecidas como "crista de galo" e "couve-flor") no pênis ou na vagina, que podem causar coceira e dor na relação sexual.
 
Diagnóstico - O papilomavírus pode ser detectado por meio de:
    A) Exame de Papanicolau (análise de esfregação do colo do útero).
    B) Colposcopia (exame endoscópico do colo do útero).
    C) Vulvoscopia (idem da vulva).
    D) Peniscopia (exame endoscópico do pênis).
    E) Biópsia.
 
Tratamento - é feito com um programa de cauterizações que deve ser seguido à risca.
 
 
GONORRÉIA - É uma inflamação purulenta das superfície das mucosas  causada por um microrganismo sexualmente transmissível: o gonococo. Geralmente começa nos órgãos sexuais, mas pode alcançar outros, pois o microrganismo é levado pelo sangue e pode provocar desde síndromes disseminadas (febre, artralgias, lesões cutâneas) até endocardite e meningite. Nos homens, pode provocar inflamação dos testículos e, nas mulheres, formação de abscesso nos ovários. A fertilidade é afetada.
 
Sintomas: Homens: secreção uretra purulenta, corrimento no ânus, dor nos testículos.
                 Mulheres: corrimento vaginal, dor pélvica crônica.
                 Crianças: vulvovaginite, infecção ocular.
 
    Obs.: mulheres grávidas contaminadas devem passar por cirurgia no momento do parto, para evitar contaminação dos olhos do bebê.
 
Diagnóstico - A doença é detectada por meio de exames da secreção uretral e cervical da mulher.
 
 
SÍFILIS - É uma doença traiçoeira, caracterizada por estágios que se sucedem ao longo dos anos, durante os quais os sintomas podem passar despercebidos, dando a impressão de cura. Se não tratada, pode levar a complicações de coração sistema nervoso central, ossos, músculos e tecidos. É causada pelo Treponema pallidum e transmitida por contato sexual.
 
Estágios e sintomas
       1. Sífilis infecciosa (primária) - Aparecimento de ferida grande e indolor no órgão sexual. Cicatriza dentro de três a seis semanas.
       2. Sífilis infecciosa (secundária) - Manchas na pele, gânglios inflamados, sintomas de gripe, dores nas juntas, perda de pequenos tufos de cabelo.
       3. Sífilis latente - Ausência de sintomas.
       4. Sífilis tardia (terciária) - Comprometimento generalizado dos órgãos.
 
Diagnóstico - é feito por meio de exame de laboratório, o VDRL, a pedido do médico. Mulheres grávidas devem submeter-se a esse exame, porque a doença pode atingir o feto.         
 
Tratamento - é feito com penincilina e, dependendo do caso, com antibióticos alternativos. O paciente deve seguir rigorosamente a orientação médica e evitar contato sexual até obter a cura.
 
 
AIDS - Causada pelo vírus HIV, a AIDS, é uma doença que provoca morte celular e conseqüente perda da função imune, com possibilidade de infecções  oportunistas, neoplasias malignas e lesões neurológicas que podem levar à morte.
 
Sintomas - Febre e mal estar, erupção cutânea, manchas no corpo, enfraquecimento geral, perda de peso, diarréia, fadiga crônica e infecções.
    Obs.: "Portadores sãos" são indivíduos contaminados mas que não apresentam sintomas durante anos. Podem ser transmissores do vírus.
 
Diagnóstico - O primeiro exame de sangue a ser feito, em um laboratório, é o teste ELISA. Para confirmação do resultado positivo no exame de ELISA o hematologista solicitará um mais específico, chamado Western Blot. Há vários exames adicionais para o acompanhamento do paciente, se soropositivo.
 
Tratamento - Tratamentos modernos com coquetéis de medicamentos, suplementação vitamínica e alimentação adequada garantem, hoje, aos aidéticos, uma boa qualidade de vida.
 
 
HERPES GENITAL - Infecção pelo vírus herpes simples, transmitida através de relação sexual e ainda sem tratamento específico e definitivo.
 
Sintomas - Pequenas bolhas de conteúdo claro na genitália externa masculina ou feminina. Podem ser dolorosas. Essas vesículas rompem-se e deixam uma pequena ferida rasa que desaparece dentro de 7 a 10 dias.
 
Diagnóstico - Exame clínico e análise laboratorial do líquido das vesículas.
 
Tratamento - Medicamentos, pomadas tópicas e analgésicos.
 
 
HEPATITE B - Doença causada por vírus e transmitida sexualmente , a Hepatite B pode progredir para moléstia crônica do fígado, insuficiência hepática ou cirrose, por isso, atualmente, já há vacinas para sua prevenção.
 
Sintomas - Mal estar, náuseas, falta de apetite, dor abdominal, dor de cabeça, urina escura e icterícia.
 
Diagnóstico - Exame de sangue em laboratório.
 
Tratamento - Medicamentos, higiene, repouso relativo.
 
 
Algumas doenças sexualmente transmissíveis não têm cura. Portanto:
 
    1 - Use "camisinha"em todas as relações sexuais
    2 - Vá ao médico regularmente e realize todos os exames solicitados
    3 - Caso tenha alguma infecção, siga rigorosamente as orientações médicas e avise as pessoas com que manteve relações sexuais para que também sejam avaliadas e tratadas.